Biodiesel

Você está aqui

Home / Combustíveis / Biodiesel

O biodiesel é produzido por meio de reações de esterificação e transesterificação de óleos vegetais com álcoois
O biodiesel é produzido por meio de reações de esterificação e transesterificação de óleos vegetais com álcoois

Curtidas

0

Comentários

0

por Jennifer

Compartilhe:
Por Jennifer Rocha

O óleo diesel é um combustível muito usado em meios de transportes pesados, como ônibus e caminhões, que corresponde a uma fração do petróleo mais pesada do que a gasolina. Além de o petróleo ser um combustível fóssil que tem a possibilidade de se esgotar (não é renovável), a queima dos seus derivados produz grandes quantidades de poluentes atmosféricos.

A queima do óleo diesel é um dos meios que geram as maiores concentrações desses poluentes, tais como gás carbônico, monóxido de carbono, fuligem, óxidos de nitrogênio e óxidos de enxofre, que contribuem para vários problemas ambientais, tais como efeito estufa, aquecimento global e chuva ácida.

Assim, o biodiesel tem despontado como alternativa de combustível ao óleo diesel, pois é bem menos agressivo ao meio ambiente. Apesar de não ser totalmente limpo, o biodiesel, quando comparado ao óleo diesel, oferece várias vantagens, sendo que as principais são:

  • É renovável;

  • É biodegradável;

  • Não contribui para o ciclo do carbono, ou seja, na sua combustão, não emite substâncias químicas, tais como o gás carbônico e o monóxido de carbono, que contribuem para o efeito estufa e aquecimento global;

  • Não contém compostos sulfurados e, dessa forma, não contribui também para a chuva ácida;

  • Não contém aromáticos, que são tóxicos e muitos são cancerígenos e mutagênicos;

  • Apresenta alto número de cetanos (o correspondente a octanos na gasolina).

Um biocombustível é todo combustível produzido a partir de biomassa e que é renovável. O biodiesel é um biocombustível proveniente de óleos vegetais e de gorduras de animais. Algumas oleaginosas das quais são extraídos óleos com potencial de produção de biodiesel são: mamona, soja, amendoim, algodão, girassol, palma (dendê), babaçu e milho.

Óleos de soja e dendê usados na produção de biodiesel
Óleos de soja e dendê usados na produção de biodiesel

Também podem ser usados resíduos gordurosos de fritura e esgoto sanitário, um aspecto bastante interessante, pois evita que esses óleos de frituras (por exemplo, o óleo que usamos para fazer batata frita) sejam jogados no esgoto doméstico e gerem poluição das águas e do solo.

A composição do biodiesel é basicamente uma mistura de ésteres de ácidos graxos com monoalcoóis de cadeia curta, como o metanol ou o etanol. Essa mistura é obtida pelos processos de transesterificação ou esterificação.

Os óleos e gorduras são lipídios constituídos por uma mistura de diversos compostos, sendo que os mais importantes são os ácidos graxos e seus derivados, principalmente os triglicerídeos, que podem chegar a valores superiores a 95% em massa.

Molécula de triglicerídeo
Molécula de triglicerídeo

Na reação de transesterificação, ocorrem três reações consecutivas e reversíveis entre os triglicerídeos e álcoois na presença de um catalisador apropriado. O objetivo dessa reação é converter os triglicerídeos dos óleos e gorduras em um éster de menor massa molecular, semelhante ao óleo diesel. Um subproduto importante dessa reação é a glicerina, que pode ser aproveitada e utilizada em indústrias de cosméticos.

Reações envolvidas na transesterificação de triglicerídeos para a produção de biodiesel
Reações envolvidas na transesterificação de triglicerídeos para a produção de biodiesel

Já a esterificação trata-se da reação de um ácido graxo com um monoálcool para formar ésteres, com catalisadores ácidos. O subproduto é a água:

Reação de esterificação
Reação de esterificação

No ano de 2004, o governo brasileiro instituiu o Programa de Produção e Uso de Biodiesel (PNPB), que tornou obrigatória a adição de 2% de biodiesel, o chamado B2, ao diesel de petróleo, a partir de 2008. Hoje, esse percentual aumentou para 5% (B5) e há metas para aumentá-lo gradativamente até atingir 20%.


Por Jennifer Fogaça
Graduada em Química

Curtidas

0

Comentários

0

por Jennifer

Compartilhe: