Fosfoetanolamina

Você está aqui

Home / Curiosidades de Química / Fosfoetanolamina

Representação da cápsula com fosfoetanolamina, a chamada pílula do câncer
Representação da cápsula com fosfoetanolamina, a chamada pílula do câncer

Curtidas

0

Comentários

0

por Diogo

Compartilhe:
Por Diogo Dias

Fosfoetanolamina é uma substância orgânica presente em diversos órgãos e tecidos animais, sendo responsável por produzir algumas moléculas que participam da síntese de lipídios corporais.

Definição

A Fosfoetanolamina apresenta os seguintes grupos funcionais em sua estrutura:

  • Hidrocarboneto

  • Amina

  • Fosfato

Bioquimicamente, ela é considerada uma amina primária, já que apresenta o átomo de nitrogênio ligado a dois átomos de hidrogênio, como podemos conferir na sua estrutura a seguir:

Fórmula estrutural de uma molécula de fosfoetanolamina
Fórmula estrutural de uma molécula de fosfoetanolamina

Confere-se à fosfoetanolamina ainda o título de monoéster porque se trata de uma substância participante da síntese de lipídios.

Propriedades

a) Composição química

Os elementos químicos que compõem a fosfoetanolamina são:

  • Fósforo (P)

  • Oxigênio (O)

  • Hidrogênio (H)

  • Nitrogênio (N)

  • Carbono (C)

Sua fórmula molecular é C2H8NO4P, cuja massa molar é 141 g/mol.

b) Polaridade

Como temos na molécula de fosfoetanolamina dois elementos muito eletronegativos (Oxigênio e Nitrogênio), logo, trata-se de um composto polar e que interage entre suas moléculas por meio de ligações de Hidrogênio.

c) Solubilidade

A molécula de fosfoetanolamina tende a apresentar boa solubilidade em solventes que realizam ligações de hidrogênio, como a água, e também em solventes polares.

d) Estado físico e cor

Em temperatura ambiente, a fosfoetanolamina apresenta-se no estado sólido, com coloração esbranquiçada.

Importância

A Fosfoetanolamina apresenta, segundo alguns estudos científicos, as seguintes ações no organismo:

  • Participa de vias de sinalização (indica se a célula está com defeito) para um macróago);

  • Participa da produção de constituintes da membrana celular;

  • Transporte de ácido graxo até as mitocôndrias;

  • Participação da síntese de substratos intermediários do metabolismo;

  • Participação de etapas de regulação do metabolismo celular, como o metabolismo mitocondrial;

  • Participa da síntese de acetilcolina (substância que participa da transmissão do impulso nervoso);

  • Participa da síntese de diversos fosfolipídios;

  • Participa da síntese de diversos hormônios;

  • Auxilia no mecanismo de morte programada das células.

Relação com o Câncer

Segundo o grupo de pesquisa do professor aposentado Gilberto Orivaldo Chierice, da USP de São Carlos, a fosfoetanolamina pode ser utilizada no tratamento do câncer.

Seu grupo estuda a molécula há mais de vinte anos e afirma ter chegado a resultados importantes sobre a cura do câncer por meio da fosfoetanolamina sintética, produzida por eles em laboratório.

Porém, a substância fosfoetanolamina, para ser aceita como um medicamento, deve passar por diversos testes e pesquisas comprovadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Assim, apenas após a confirmação da eficácia da substância, poderemos chamá-la de fato de pílula do câncer.

Síntese

A fosfoetanolamina pode ser obtida artificialmente por meio da reação entre a etanolamina (composto que apresenta um grupo amino e um grupo álcool) e o ácido fosfórico. Nessa reação, um hidrogênio presente na hidroxila do ácido interage com o grupo hidroxila da etanolamina:

Equação de formação da molécula de fosfoetanolamina
Equação de formação da molécula de fosfoetanolamina

Por fim, o oxigênio da hidroxila do ácido que perdeu o hidrogênio liga-se ao carbono da etanolamina que perdeu o grupo hidroxila (OH).


Por Me. Diogo Lopes Dias

Curtidas

0

Comentários

0

por Diogo

Compartilhe: