Chuva Ácida

Você está aqui

Home / Química Ambiental / Chuva Ácida

Com o desenvolvimento e avanço industrial, os problemas inerentes às chuvas ácidas têm se tornado cada vez mais sérios
Com o desenvolvimento e avanço industrial, os problemas inerentes às chuvas ácidas têm se tornado cada vez mais sérios

Curtidas

0

Comentários

0

por Jennifer

03 Dec 2014

Compartilhe:

A emissão de gases poluentes na atmosfera, como óxidos ácidos e gases de efeito estufa, tem causado graves problemas ambientais, sendo que um deles é a chuva ácida. Esse nome foi usado pela primeira vez pelo químico e climatologista inglês Robert Angus Smith ao descrever a precipitação ácida que ocorreu sobre a cidade de Manchester no início da Revolução Industrial.

As chuvas comuns já são naturalmente ácidas, pois mesmo em lugares não poluídos, na atmosfera há, por exemplo, o gás carbônico (CO2), que é um óxido ácido que reage com a água da chuva e gera o ácido carbônico, conforme mostrado abaixo:

CO2(g) + H2O(l)→ H2CO3(aq)

Esse tipo de chuva naturalmente ácida possui pH em torno de 5,6 e não é considerada nociva.

Poluição e liberação de gás carbônico para a atmosfera
Poluição e liberação de gás carbônico para a atmosfera

Chama-se de chuva ácida qualquer chuva com pH menor que 5,6. Em lugares populosos em que há grande quantidade de veículos e em centros industriais, são comuns chuvas ácidas com pH igual a 4,5. Já se registraram chuvas com pH igual a 2; para se ter ideia de como isso é perigoso, esse é o valor do pH do limão ou do vinagre concentrados.

O pH da chuva diminui tanto em virtude, principalmente, dos óxidos de nitrogênio e de enxofre.

Entre os óxidos de nitrogênio, o principal é o NO2, que pode estar presente na atmosfera naturalmente por meio de reações entre os gases nitrogênio e oxigênio catalisadas por relâmpagos ou ser originado das combustões em motores a explosão dos automóveis movidos a combustíveis fósseis.

O dióxido de nitrogênio reage com a água da chuva e gera dois tipos de ácidos, o ácido nitroso e o ácido nítrico, mostrados, respectivamente, na equação química abaixo:

2 NO2(g) + H2O(l)→ HNO2(aq) + HNO3(aq)

O ácido nítrico é considerado o segundo maior responsável pela chuva ácida. Esse tipo de chuva ácida pode, ao longo do tempo, causar graves problemas ambientais.

Entretanto, os grandes vilões são os óxidos de enxofre (SO2 e SO3), pois eles reagem com a água formando o ácido sulfúrico, um ácido muito forte:

S(s) + O2(g) → SO2(g)
SO2(g) + H2O(l)→ H2SO3(aq) (Ácido sulfuroso)

SO2(g)+ ½ O2(g) → SO3(g)
SO3(g) + H2O(l)→ H2SO4(aq) (Ácido sulfúrico)

Abaixo temos um esquema que mostra as principais fontes de óxidos ácidos que geram a chuva ácida:

Esquema de causas da chuva ácida
Esquema de causas da chuva ácida

Entre os impactos ambientais que a chuva ácida causa, temos:

Principais consequências da chuva ácida
Principais consequências da chuva ácida

Os combustíveis fósseis, tais como os derivados do petróleo, sofrem combustão completa, liberando gás carbônico para a atmofera, mas conforme as impurezas presentes, também são produzidos óxidos de nitrogênio, NO e NO2, e óxidos de enxofre, SO2(g) e SO3(g). A chamada gasolina Podium é livre de enxofre.

Com o avanço industrial e o uso descontrolado desses combustíveis fósseis, o problema da chuva ácida vem se agravando cada vez mais. Daí a necessidade urgente de se diminuir a emissão desses gases poluentes na atmosfera.

A combustão de combustíveis fósseis emite gases poluentes para a atmosfera
A combustão de combustíveis fósseis emite gases poluentes para a atmosfera


Por Jennifer Fogaça
Graduada em Química

Curtidas

0

Comentários

0

por Jennifer

03 Dec 2014

Compartilhe: