Química verde

Você está aqui

Home / Química Ambiental / Química verde

O uso de energia renovável é um princípio da Química Verde
O uso de energia renovável é um princípio da Química Verde

Curtidas

0

Comentários

0

por Diogo

Compartilhe:
Por Diogo Dias

A Química Verde é um ramo da Química que foi definido pela primeira vez em 1991, por John Warner e Paul Anastas, membros da agência ambiental norte-americana Environmental Protection Agency (EPA). Isso ocorreu após a criação de uma lei nacional de prevenção à poluição.

Os dois definiram a Química Verde como sendo o “desenvolvimento de produtos químicos e processos que buscam a redução ou eliminação do uso e da geração de substâncias perigosas. Esse conceito foi aceito pela IUPAC em 1993.

Como observado na definição, a palavra-chave da Química Verde é redução, principalmente no que diz respeito à poluição ambiental. Dessa forma, a Química Verde apresenta os seguintes objetivos:

  • Redução de consumo de energia

  • Redução dos dejetos (materiais que são descartados na natureza)

  • Redução da toxicidade

  • Redução do uso de fontes não renováveis

  • Redução dos riscos de poluição ao meio ambiente

  • Redução do uso de matéria-prima

Um melhor planejamento das reações químicas pode diminuir a quantidade de impurezas descartadas
Um melhor planejamento das reações químicas pode diminuir a quantidade de impurezas descartadas

Para tentar resolver a problemática gerada pelas ações do homem ao longo do tempo na natureza, a Química Verde busca incessantemente o desenvolvimento de novas tecnologias e reações químicas que não gerem poluição a do meio ambiente. Para isso, existem algumas ações que são obrigatórias dentro da Química verde:

  • Utilizar reagentes alternativos e renováveis

  • Utilizar reagentes que diminuam a perda de materiais

  • Substituição dos solventes tóxicos

  • Aprimorar processos naturais de síntese

  • Desenvolver novas substâncias que não poluam o meio ambiente

  • Desenvolvimento de condições para que as reações químicas tenham maior rendimento e produzam menos impurezas.

  • Minimizar o consumo de energia

Todas as ações propostas pela Química Verde, com o intuito de alcançar os objetivos já descritos, são regidas por um total de doze princípios. São eles:

1°) Prevenção

Se há diminuição ou escassez de resíduos (lixo), automaticamente diminuímos a necessidade de tratá-los e, consequentemente, diminuímos o seu descarte na natureza.

2°) Economia ou eficiência atômica

É a chamada síntese verde, na qual toda a massa dos reagentes é convertida em produtos, não produzindo, assim, resíduos a serem descartados.

3°) Redução de toxicidade

Durante uma reação química, devemos utilizar substâncias e formar outras que não apresentem nenhum nível de toxicidade nem para o homem nem para o meio ambiente.

4°) Desenvolvimento de produtos seguros e eficientes

É um princípio que se volta para o planejamento da reação química que se quer desenvolver para impedir a formação de resíduos ou substâncias tóxicas.

5°) Eliminar ou tornar seguros solventes e outros auxiliares de reação

A Química Verde defende a ideia de que não devemos utilizar solventes tóxicos ou aqueles que promovem impactos negativos no ambiente. As indústrias, se não houver alternativa, devem buscar a utilização de solventes de baixo impacto ambiental.

6°) Otimização do uso de energia

Deve-se utilizar uma menor quantidade de energia ou utilizar energia provinda de fonte renovável. Assim, de acordo com esse princípio, devemos buscar realizar processos químicos industriais com uma ótima eficiência, mas com menos energia.

7°) Uso de matérias-primas de fontes renováveis

A realização de uma reação química deve ser feita por meio da utilização de matérias-primas renováveis ou mesmo com materiais que foram reciclados.

8°) Evitar derivações desnecessárias

Esse princípio indica a utilização de algumas substâncias nos processos de síntese, os chamados bloqueadores, para impedir que uma reação química aconteça em mais de uma etapa.

9°) Catálise

Esse princípio envolve a ideia de que podemos reduzir o tempo de processamento de uma reação por meio de catalisadores. O uso dessas substâncias torna a reação mais rápida, diminuindo, assim, a possibilidade de formação de um produto indesejado.

10°) Desenvolvimento de produtos degradáveis após o término de vida útil

É necessário desenvolver substâncias químicas que, quando sofrerem a degradação (decomposição), transformem-se em substâncias inócuas, isto é, que não reagem com nenhuma outra substância.

11°) Monitoramento/controle de processos em tempo real

Durante a realização de um processo químico, devemos estar constantemente atentos para que qualquer problema possa ser detectado e corrigido imediatamente, a tempo de evitar qualquer dano ou resíduo no final do processo.

12°) Desenvolvimento de processos seguros

É o princípio que defende a utilização de todos os outros onze já especificados, pois, com isso, dificilmente acidentes acontecerão durante a produção industrial e ramos afins e, caso aconteça algum acidente, o dano para quem está seguindo esses princípios será mínimo.

Conhecendo os objetivos e princípios da Química Verde, fica claro que ela é um ramo da ciência química que visa ao restabelecimento da qualidade do meio ambiente e o desenvolvimento sustentável da sociedade.

Dessa forma, os impactos negativos que atingem a natureza, em decorrência dos abusos e danos provocados pelas ações do homem, tendem a ser minimizados pela aplicação das ações e princípios da Química Verde.


Por Me. Diogo Lopes Dias

Curtidas

0

Comentários

0

por Diogo

Compartilhe: