Polímeros de Condensação

Você está aqui

Home / Química Orgânica / Polímeros / Polímeros de Condensação

Os polímeros de condensação são plásticos (como o PET da garrafa acima) e fibras sintéticas muito utilizados no cotidiano
Os polímeros de condensação são plásticos (como o PET da garrafa acima) e fibras sintéticas muito utilizados no cotidiano

Curtidas

0

Comentários

0

por Jennifer

20 Nov 2014

Compartilhe:

Os polímeros de condensação são macromoléculas formadas por meio de reações de polimerização em que dois monômeros (iguais ou diferentes) unem-se e é eliminada uma molécula pequena que não fará parte do polímero. Geralmente, essa molécula eliminada é a água (H2O), porém, outros exemplos são o cloreto de hidrogênio (HCl), a amônia (NH3), o cianeto de hidrogênio (HCN), entre outros.

De maneira genérica, a formação dos polímeros de condensação segue o seguinte tipo de reação de condensação:


Reação genérica de formação dos polímeros de condensação
 

Observe que é necessário haver dois grupos funcionais nos monômeros diferentes.

Os polímeros de condensação são muito empregados em nossa sociedade. A seguir, apresentamos os principais exemplos desse tipo de polímero:

* Poliéster: formado pela reação entre ácidos carboxílicos e álcoois com a eliminação de água. O mais importante é o PET (polietilenotereflato, ou politereftalato de etileno). Esse polímero de condensação também é comercializado com os nomes de dracon e terilene.

Ele é produzido por meio da reação entre o álcool etilenodiol (etileno-glicol) e o ácido tereftálico (ácido p-benzenodioico):


Reação de polimerização para a obtenção do PET e algumas de suas aplicações

A principal aplicação desse polímero é na fabricação de garrafas plásticas para refrigerantes. Se ele for misturado ao algodão, dará origem a um tecido conhecido como tergal.

* Náilon: É uma poliamida, ou seja, é formado pela polimerização entre um diácido carboxílico e uma diamina. A poliamida mais comum é o náilon-66, formado pela reação entre o ácido hexanodioico (ácido adípico) e a 1,6-hexanodiamina:


Reação de polimerização do náilon 66 e sua aplicação em meia-calça

A principal aplicação do náilon é em meias, mas também é usado em confecções, fibras têxteis, fabricação de tapetes, linhas de pescar, saturas cirúrgicas, cerdas para escovas de dentes, velcros, acessórios elétricos, entre outros.

* Kevlar: Esse é um polímero muito resistente usado em coletes à prova de balas, chassis de carros de corrida, bicicletas, aviões e roupas de pilotos de Fórmula 1. Ele é formado pela reação de polimerização entre o ácido tereftálico (ácido p-benzenodioico) e a p-benzenodiamina:


Reação de obtenção do kevlar e sua utilização em colete à prova de balas

* Silicones: Esses polímeros são um pouco diferentes dos demais porque, no lugar do carbono, possuem o silício como elemento central. Os silicones possuem amplas aplicações, como para lubrificação de moldes, vedação de janelas, próteses para cirurgias plásticas, polidores de carros, cosméticos, toucas de natação, entre outros.

Atualmente, entre os silicones que possuem maior número de aplicações, estão os que são obtidos pela polimerização do dicloro-dimetil-silano ou do dicloro-difenil-silano, produzidos pela reação mostrada a seguir:


Reação de obtenção do silicone e sua utilização em próteses e em cola para vedação

* Baquelite: Foi o primeiro polímero sintético de importância industrial, sendo produzido em 1907 por Leo Hendrik Baekeland. É um polifenol produzido pela polimerização entre o fenol (benzenol ou hidroxibenzeno) e o formol (formaldeído ou metanal), com a eliminação de moléculas de água:


Reação de polimerização entre o fenol e o formol com formação da baquelite

A baquelite é muito utilizada na fabricação de bolas de bilhar, telefones, cabos de panelas e de ferramentas, interruptores elétricos, tomadas, plugues, peças industriais elétricas, tampas, laminados (fórmica), revestimentos, tais como tintas e vernizes, e em cola de madeira.

* Policarbonato (PC): É um material transparente semelhante ao vidro, porém altamente resistente ao impacto, formado pelo fosgênio (COCl2) e pelo p-isopropilenodifenol (bisfenol A). A molécula que é liberada é a do gás cloreto (HCl):


Reação de obtenção do policarbonato e o seu uso em bases de discos de CD e DVD


Por Jennifer Fogaça
Graduada em Química

Curtidas

0

Comentários

0

por Jennifer

20 Nov 2014

Compartilhe: