Hidrólise de sais

Você está aqui

Home / Físico-Química / Equilíbrio Químico / Hidrólise de sais

Quando o cloreto de sódio é adicionado à água, ocorre a hidrólise desse sal
Quando o cloreto de sódio é adicionado à água, ocorre a hidrólise desse sal

Curtidas

0

Comentários

0

por Diogo

Compartilhe:
Por Diogo Dias

Hidrólise de sais é um equilíbrio químico que ocorre após a adição de um sal (YX) à água. Esse processo acontece por causa da ionização da água, a qual produz o cátion hidrônio (H+) e o ânion hidróxido (OH-), e da dissociação do sal, que libera um cátion qualquer (Y+) e um ânion qualquer (X-).

Em resumo, a hidrólise dos sais é a interação entre os íons do sal com os íons da água, isto é, o cátion de um com o ânion do outro, o que pode resultar nas seguintes substâncias:

Porém, a interação entre os íons não ocorre quando a base ou o ácido formados são fortes, uma vez que essas substâncias fortes apresentam um elevado grau de dissociação, ou seja, uma tendência a permanecer na forma de íons.

Assim, quando misturamos um sal à água, podemos obter ou não a formação de ácido ou base (hidrólise), ou de ambos. Isso pode influenciar diretamente no pH do meio da seguinte forma:

  • Formação de ácido e base: não haverá a presença de íons hidrônio e hidróxido na solução, o que tornará o meio neutro (com pH = 7);

  • Formação apenas da base: existirá a presença de íons hidrônio na solução, o que tornará o meio ácido (com pH < 7);

  • Formação apenas do ácido: haverá a presença de íons hidróxido na solução, o que tornará o meio básico (com pH > 7);

  • Não existirá formação de ácido nem de base: haverá os íons hidróxido e hidrônio na solução, o que tornará o meio neutro (com pH = 7).

Hidrólise de sais com formação de meio neutro

A hidrólise de sais com a formação de um meio neutro ocorre em duas situações:

1ª- Quando o sal apresenta cátion capaz de formar base forte e ânion capaz de formar ácido forte;

Para facilitar o entendimento, vamos utilizar o exemplo da hidrólise do iodeto de potássio (KI).

  • Íons no iodeto de potássio:

O iodeto de potássio apresenta o cátion potássio (K+1) e o ânion iodeto (I-1).

  • Relação entre o cátion do sal e o ânion hidróxido (OH-) da água:

Como o potássio pertence à família IA, seu cátion não sofre hidrólise, ou seja, não interage com o hidróxido, resultando na base forte hidróxido de potássio [KOH]. Dessa forma, restarão íons hidróxido na solução.

  • Relação entre o ânion do sal e o cátion hidrônio (H+) da água:

Se o ânion iodeto (I-1) interagisse com o hidrônio (H+), haveria a formação do hidrácido ácido iodídrico (HI), que é um dos três hidrácidos considerados fortes (além do HCl e do HBr). Dessa forma, o iodeto não sofre hidrólise, restando cátions hidrônio na solução. Após a adição do iodeto de potássio, como existirão cátions hidrônio e ânions hidróxido, a solução será neutra.

2ª- Quando o sal apresenta cátion capaz de formar base fraca e ânion capaz de formar ácido fraco.

Para facilitar o entendimento, vamos utilizar o exemplo da hidrólise do sulfeto de magnésio (MgS).

  • Íons no sulfeto de magnésio:

O sulfeto de magnésio apresenta o cátion magnésio (Mg+2) e o ânion sulfeto (S-2).

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)
  • Relação entre o cátion do sal e o ânion hidróxido (OH-) da água:

Mesmo com o magnésio pertencendo à família IIA, seu cátion sofre hidrólise, ou seja, interage com o hidróxido e forma a base fraca hidróxido de magnésio [Mg(OH)2].

  • Relação entre o ânion do sal e o cátion hidrônio (H+) da água:

Se o ânion sulfeto (S-2) interagisse com o hidrônio (H+), haveria a formação do hidrácido ácido sulfídrico (H2S), que é fraco, já que apenas HCl, HBr, HI são hidrácidos fortes. Dessa forma, o sulfeto sofre hidrólise, não restando cátions hidrônio na solução. Após a adição do sulfeto de magnésio à água, como não haverá cátions hidrônio e ânions hidróxido, a solução será neutra.

Hidrólise de sais com formação de meio ácido

A hidrólise de sais pode formar um meio ácido quando um sal apresenta cátion capaz de formar base fraca e ânion capaz de formar ácido forte. Para facilitar o entendimento, vamos utilizar o exemplo da hidrólise do sulfato de ferro II (FeSO4).

  • Íons no sulfato de ferro II:

O sulfato de ferro II apresenta o cátion ferro II (Fe+2) e o ânion sulfato (SO4-2).

  • Relação entre o cátion do sal e o ânion hidróxido (OH-) da água:

Como o ferro não pertence às famílias IA, IIA (com exceção do magnésio) e IIIA, seu cátion ferro II sofre hidrólise, ou seja, interage com o hidróxido e forma a base fraca hidróxido de ferro II [Fe(OH)2].

Obs.: Não há a presença de íons hidróxido na solução.

  • Relação entre o ânion do sal e o cátion hidrônio (H+) da água:

Se o ânion sulfato (SO4-2) interagisse com o hidrônio (H+), haveria a formação do oxiácido ácido sulfúrico (H2SO4). Esse ácido é considerado forte, uma vez que, para os oxiácidos, o resultado da subtração entre oxigênios e hidrogênios deve ser maior ou igual a dois. Dessa forma, restarão íons hidrônio na solução, o que faz dela uma solução ácida.

Hidrólise de sais com formação de meio básico

A hidrólise de sais com formação de um meio básico ocorre quando um sal apresenta cátion capaz de formar base forte e ânion capaz de formar ácido fraco. Para facilitar o entendimento, vamos utilizar o exemplo da hidrólise do cianeto de cálcio [Ca(CN)2].

  • Íons no cianeto de cálcio:

O cianeto de cálcio apresenta o cátion cálcio (Ca+2) e o ânion cianeto (CN-1).

  • Relação entre o ânion do sal e o cátion hidrônio (H+) da água:

Se o ânion cianeto (CN-1) interagisse com o hidrônio (H+), haveria a formação do hidrácido ácido cianídrico (HCN), que é fraco, já que apenas HCl, HBr, HI são hidrácidos fortes. Dessa forma, o cianeto sofre hidrólise, não restando cátions hidrônio na solução.

  • Relação entre o cátion do sal e o ânion hidróxido (OH-) da água:

Como o cálcio pertence à família IIA, seu cátion não sofre hidrólise, ou seja, não interage com o hidróxido, pois resulta na base forte hidróxido de cálcio [Ca(OH)2]. Dessa forma, restarão íons hidróxido na solução, o que faz dela uma solução básica.


Por Me. Diogo Lopes Dias





Videoaula relacionada:

Curtidas

0

Comentários

0

por Diogo

Compartilhe: